domingo, 25 de janeiro de 2009

BANCOS SOBEM OS SPREADS

Banca aperta condições dos contratos.
Instituições restringem o acesso ao crédito, com prazos mais curtos e spread's mais altos.
Os bancos estão a contornar as descidas de taxas de juro da Euribor, aumentando as comissões cobradas ao cliente e diminuindo os prazos de pagamento.
Os dados são resultado de um inquérito do Banco de Portugal (governado por aquele que nada vê, nem de nada é responsável, aquele que apenas sabe dizer que o ordenado mínimo nacional não pode ser muito aumentado, porque a economia nacional não suporta esses custos, mas ele pode ganhar mais do que o Presidente da FED, Reserva Federal Norte-americana), inquérito esse que diz que as entidades financeiras estão a restringir as condições dos em préstimos.
Com a baixa da Euribor, alguns clientes estão a solicitar aos bancos uma revisão dos contratos, em vez de esperarem pela actualização a cada 3 ou 6 meses, e é aqui que as entidades financeiras estão a aproveitar para subir os spread's, porque o banco assume que o perfil de risco se altera.
A maioria dos bancos não assume isso como uma realidade, dizendo antes que, cada caso é analisado individualmente e há vários factores que determinam os contratos.
O que o inquérito não analisa é outro problema que está a acontecer aos outros empréstimos em que não é feita uma renegociação, eu vou passar a explicar, pois este é o meu caso:
Porque não interessa o valor real vou explicar com valores exemplificativos;
Em Dezembro de 2008 meu crédito à habitação, foi revisto devido à Euribor a 6 meses, como entretanto a Euribor desceu em cerca de 2% a minha renda desceu cerca de 10 Euros e neste mês de Janeiro de 2009, subiu 9 Euros. Como fiquei muito admirado dirigi-me ao Balcão da C.G.D. da Baixa da Banheira e a informação que me deram ao balcão foi, IMAGINE-SE:
O meu spread não foi alterado continua a ser de 1%, a minha taxa de juro Euribor desceu, agora vem o melhor; a bonificação do estado ao meu crédito à habitação foi reduzida, ou seja toda a descida da Euribor foi absorvida pelo estado ao reduzirem esse mesmo valor na bonificação.
E ESTA HEM!! DE QUALQUER FORMA SOMOS SEMPRE ROUBADOS!
É O QUE FAZ SER UM CIDADÃO DE SEGUNDA, TEMOS DE PAGAR AS MORDOMIAS DOS DE PRIMEIRA QUE OCUPAM CERTOS CARGOS POLÍTICOS.
Enfim, mas ando na rua de cabeça erguida, pois não tenho off-shores nas Canárias nem nas ilhas Caimão.

1 comentário:

ALLmirante disse...

A crise atual se deve ao excessivo poder das entidades financeiras. Bertrand Russel, 1930,