sábado, 28 de fevereiro de 2009

Vírus "Conficker" ataca

A Microsoft oferece recompensa a quem encontrar o criador do vírus que infecta discos rígidos e pastas partilhadas dos computadores de todo o mundo.
A sociedade de hoje não seria o que é, sem a ajuda de milhões de computadores espalhados pelo mundo, são máquinas que executam tarefas a ma velocidade cada vez maior, alimentadas por programas que qualquer pessoa pode criar, e aí está o seu ponto fraco, teoricamente nada impede que alguém entre no computador de um banco e o instrua a somar mensalmente todos os cêntimos de milhares de contas e depositá-los na sua própria conta, ou pior, instrua os computadores do Banco de Portugal a destruir as suas memórias em determinado dia e hora. Seria o caos.
Todos os computadores estão sujeitos à infecção, mesmo os maiores e mais sofisticados, isso justifica o alarme dos cientistas, técnicos de grandes empresas e órgãos de defesa estratégica das grandes potências. Preparam-se para um novo conceito de guerra, que não mobiliza soldados, nem canhões, nem mísseis, uma guerra silenciosa e rápida, mas que pode pôr o mundo num caos.
Crimes deste tipo já vêm acontecendo há 40 anos, felizmente ainda em pequena escala. A arma utilizada são os chamados programas destrutivos, ou vírus de computador que já ultrapassam o milhão.
A primeira aparição deste tipo de software, ou softbomb, como alguns lhe chamam, aconteceu no início dos anos 70 e a última em Novembro passado.
Trata-se do Conficker, também conhecido por Downadup, uma dor de cabeça para os observatórios de segurança digital em todo o mundo, pois nenhum vírus informático conseguiu infectar tantos computadores nos últimos 4 anos, aproveitando um erro de segurança no sistema operativo Windows.
Os efeitos deste vírus são; a maior lentidão e a ocasional indisponibilidade de alguns sistemas, sem estar em causa a perda de informação, afecta sobretudo, os discos rígidos e pastas partilhadas dos computadores ligados em rede.
O gigante da informática Microsoft já prometeu uma recompensa de 195 mil Euros para encontrar o criador deste worm, que em computação significa um programa auto-replicante, semelhante a um vírus.
Fonte - "correio da manhã"
Enviar um comentário