quinta-feira, 4 de outubro de 2018

Poemita para um entardecer de domingo


Tuas mãos ao redor dos meus ombros
sempre me elevam
ao elixir da vida
anunciando-me regressos
papoilas enamoradas,
girassóis transbordantes
da ascese prometida.

Sempre que vens e me possuis
sobrevives-me de cristalinas águas
em teus braços
que mais me importa a mim
amado?


Guardo-te no leito do meu rio,
isso me basta.


Célia Moura

Cristina Faleroni Painting

Sem comentários: